Por: Tairi Gomes, Sócio-diretor e biólogo da Pró-Ambiente Campinas

 

2020 foi um ano de grandes impactos para todos os setores, inclusive para a fauna brasileira, a qual fecha o ano com um balanço negativo. Milhares de animais foram mortos nos enormes incêndios registrados na Amazônia e no Pantanal, os quais temos registros fotográficos divulgados pelo mundo afora.

Tudo isso corrobora para a perda do habit dos animais e a consequente mortandade de grande parte da fauna brasileira. Vale destacar, a inter-relação sistêmica entre fauna e flora. Quando a vegetação é afetada a fauna também é afetada.  Como o Brasil vem perdendo muitos fragmentos de vegetação, seja na Amazônia, seja na Mata Atlântica, a fauna também perde muito.

O Brasil é um dos países com maior biodiversidade do mundo e que possui grandes áreas com florestas e outros tipos de ecossistemas que poderiam garantir a sobrevivência dessas espécies. Entretanto, o CBEE (Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas) estima que, diariamente, devem morrer mais de 1,3 milhões de animais e ao final de um ano, até 475 milhões de animais selvagens são atropelados no Brasil. Estes números são tão assombrosos porque a grande maioria dos animais mortos por atropelamento são pequenos vertebrados, como sapos, pequenas aves, cobras, entre outros, como gambás, macacos, onça-parda, lobos-guarás e capivaras.

Além desses impactos gigantescos, milhares de outros ocorrem todos os dias no país devido à caça ilegal e acidentes em emergências químicas. Centros de tratamento de animais silvestres são raros pelo país e aqueles existentes carecem de ajuda governamental para continuarem exercendo sua função.

Alia-se a esse cenário o desconhecimento sobre animais nativos brasileiros por grande parte da população, principalmente daquela dos centros urbanos. Ali, a fauna nativa brasileira é uma completa desconhecida. Todos conhecem uma girafa, um canguru ou um elefante, mas poucos reconhecem uma paca, uma anta ou um bugio. Não podemos permitir que a fauna nativa brasileira vá definhado a olhos vistos.

Com mais de 250 trabalhos sobre fauna realizados em diversas cidades e estados brasileiros e com o compromisso da sustentabilidade, a Pró-Ambiente vem atuando tecnicamente nessa questão, desenvolvendo uma série de inciativas, estudos e projetos a fim de salvaguardar a fauna silvestre. Entre eles:

 

•  Plantio e manutenção de mudas nativas com espécies da flora brasileira, especialmente aquelas que atraem animais (chamadas de zoocóricas).

•  Implantação de programas de conscientização de educação ambiental para condomínios, loteamentos, indústrias e comércios, com o intuito de estabelecer protocolos corretos.

•  Resgate e realocação adequada de animais silvestres que adentrem indústrias e comércios, comprometendo a produção.

•  Elaboração e implantação de plano de contingência de fauna silvestre em casos de acidentes ambientais, com resgate, tratamento e realocação adequados.

•  Elaboração de projetos de revegetação de áreas com espécies nativas atrativas de fauna e implantação dessas áreas com plantio de mudas, o que garante abrigo e alimento para os animais silvestres nas áreas verdes, sem a necessidade de eles virem para as áreas urbanizadas.

•  Elaboração e acompanhamento da implantação de passagens de fauna inferiores ou aéreas em rede viária, minimizando os atropelamentos.

•  Elaboração e execução de planos de monitoramento de fauna silvestre, tais como manejo de capivaras, por meio de reconhecimento e contagem da população, proposição de manejo ambiental adequado, localização contagem e controle de áreas de infestação de carrapatos.

•  Estudos para implantação de corredores de vegetação, visando a conectividade de fragmentos florestais para o deslocamento da fauna.

•  Apoio às ONGs em programas de educação ambiental.

 

As causas das extinções de fauna são variadas, porém, o ser humano tem papel decisivo nesse processo. Os laudos de fauna são ferramentas prioritárias à redução de impacto ao meio ambiente, bem como para o desenvolvimento de ações sustentáveis para ambos os lados, ganha o meio ambiente e também ganha o homem, por meio da possibilidade de novas áreas de fauna e vegetação para as próximas gerações, a quais também precisarão ter ambientes para empreender, assim façamos valer esta relação ganha-ganha!

A Pró-ambiente elaborou, recentemente, Planos de Contingência para Fauna Silvestre inéditos no estado de São Paulo, exigência feita pelo órgão ambiental do estado, a CETESB, para continuidade de licença de operação na região de Santos-SP. Esses planos com certeza assegurarão um perfeito atendimento à fauna impactada pelo acidente e garantirão que as empresas cumpram seu papel de proteção aos animais silvestres, minimizando os riscos legais.

Para 2021 observamos a necessidade de monitoramentos atrelados de fauna e vegetação que busquem o desenvolvimento de maneira rápida, com valorização a esta atuação no estado de São Paulo, local que ainda possui muitos ambientes de revegetação em áreas urbanas, favorecendo a essa política de manutenção e preservação. O valor agregado de seu empreendimento, com certeza, perpassa políticas de manutenção e monitoramento do meio ambiente, fator que há tempos deixou de ser tendência para tornar-se necessidade de mercado.