Você já parou para pensar sobre o valor agregado das áreas vegetadas da sua cidade para o seu negócio e como você deve intervir através dos projetos de revegetação?

Por Maria de Fátima Tonon, bióloga e sócia-diretora da Consultoria Ambiental, Pró Ambiente Campinas.

 

Segundo dados da última década, do Instituto Florestal de SP, das cidades da Região Metropolitana de Campinas o percentual de vegetação varia de 14% àquelas áreas com mais vegetação a 2% às com índices menores. Campinas fica com 7% das áreas de vegetação.

O planejamento da localização dessas áreas e sua recomposição com espécies nativas deve ser realizado por técnicos especializados. Ao longo de seus 18 anos, a Pró Ambiente atua no licenciamento ambiental de loteamentos e condomínios, elaborando projetos de revegetação das áreas verdes, segundo os parâmetros legais. As áreas verdes formam as florestas urbanas e são consideradas um indicador na avaliação da qualidade ambiental urbana, sendo também obrigatórias por lei. 

Nos parcelamentos de solo urbano (loteamentos e condomínios), as áreas verdes devem ser revegetadas com espécies nativas da região, o que vem garantindo um acréscimo na vegetação nativa no estado, mesmo que ainda timidamente.

A vegetação no Brasil foi ao longo dos séculos sendo retirada para dar lugar à exploração agrícola. No estado de São Paulo, sobrou pouco da mata atlântica e o cerrado que cobriam originalmente esse território. Muitas cidades do estado possuem menos de 20% de vegetação nativa original.

Essas áreas vegetadas ou revegetadas ajudam a regular as chuvas permitindo que o excesso de água evapore de volta à atmosfera, evitando possíveis situações de inundação. Elas ainda têm grande importância na redução dos efeitos da poluição e dos ruídos, e agem diretamente na diminuição da temperatura e velocidade dos ventos, podendo servir também de abrigo a diversos animais silvestres que vivem nas cidades, como aves e mamíferos.

Além da escassez de áreas verdes, existe uma desigualdade de espaços verdes entre os bairros, sendo que as cidades devem agir de forma proativa, com planejamento de tal forma a tornar os ambientes mais equitativos.

Vale lembrar que o planejamento da localização dessas áreas e sua recomposição com espécies nativas deve ser realizado por técnicos especializados, seguindo os parâmetros legais.